Make your own free website on Tripod.com

 E.E.O.G - ESCRITÓRIO DE ENGENHARIA ODAIR GARCIA

   Águas Pluviais           

          

Sempre  dê preferência para um profissional registrado no CREA - Conselho Regional de  Engenharia, Arquitetura e Agronomia !!!                                                Inscreva-se já e aproveite as exclusividades da área de assinantes !!!                                                Em breve, publicaremos projetos prontos para casas residenciais de 2, 3, 4  dormitórios e Alto padrão !!!                                               Acesse nossa área de Links para revista de Engenharia e Construção !!!        Você é nosso visitante no. Hit Counter

Mantemos esse site em freqüente atualização, visite-nos constantemente, pois sempre haverá novidades !!!

[Área em construção]

 

 

Projeto Hidráulico de Redes de Captação de Águas Pluviais e Servidas

Quando chove o telhado protege a obra e recebe ás águas provenientes das chuvas (águas pluviais). Essas escorrem pelo telhado e são captadas pelas calhas e águas furtadas. O deságüe das calhas é captado por tubulações de escoamento que as encaminham diretamente para o solo, ou por tubulações horizontais, são encaminhadas para a sarjeta na rua.

É a criação, dimensionamento e cálculo desse sistema que os projetos Hidráulico de Redes de Captação de Águas Pluviais e Servidas sem incumbem.

Como águas servidas vamos definir aquelas que provém das chuvas, ou as de lavagens de pisos ou outros elementos, que circulando pelo solo "sujam-se" e são encaminhadas para tubulações de captação que as direciona para as captações públicas de águas pluviais e servidas (bueiros ou vielas sanitárias de águas pluviais).

Essas redes são compostas por tubos de PVC - branco tipo esgoto, ou ainda podem ser em manilhas de barro vidrado e outros tipos de tubos, de acordo com o tipo de obra.

Quando caminham na horizontal quase sempre possuem ralos providos de grelhas de ferro ou alumínio.

Não é permitido unir-se as tubulações de deságüe de águas pluviais e servidas, com as provenientes de esgotos sanitários.

No caso de vielas sanitárias de águas pluviais e servidas, o caminho que percorrem é do terreno mais acima (jusante) para os terrenos mais abaixo (montante) até chegarem ás galerias do coletor público. Ou seja, as águas originadas no terreno mais acima OBRIGATORIAMENTE têm que caminhar pelo terreno do seu vizinho limítrofe à montante e desse ao seguinte, e assim sucessivamente até o coletor. Portanto, o vizinho de baixo não pode impedir que as águas de seu vizinho de cima circulem pelo seu terreno. Cada um pode escolher a forma como essas águas caminharão em seu terreno, ou seja, pode escoar a céu aberto, estar canalizada, ter grelha, etc... Essa obrigação só existe aos proprietários de terrenos que tenham caimento para o fundo, ou serem proprietários de terrenos em que a viela dos de cima, caminharão pela lateral do seu terreno. As empresas concessionárias de serviços públicos de água e esgoto informarão a existência ou não de vielas num determinado terreno.

É de boa norma esclarecer que essa obrigatoriedade de permissão de águas pluviais e servidas, não é imposição das concessionárias de serviços públicos e sim, determinadas em Lei através do Código Civil Brasileiro. Portanto, no caso de litígio entre vizinhos, o assunto será resolvido amigavelmente, ou então, só judicialmente.

Os projetos de instalação hidráulica de redes de captação de águas pluviais e servidas, deverão obedecer na íntegra o que prescreve as Normas Técnicas da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas, bem como as determinações das concessionárias desse serviço público.

 

 

 

Envie mensagem a engodairgarcia@directnet.com.br com perguntas ou comentários sobre este site da Web.
Última modificação: 22 March, 2004